Mulheres de meia-idade que se exercitam são menos propensas ao Alzheimer

Agora as mulheres a partir de 40 anos têm mais um motivo para começar a praticar uma atividade física. O jornal Neurology publicou os resultados de um estudo iniciado na Suécia há 44 anos com 191 mulheres de meia-idade. Na época, as participantes fizeram um teste de aptidão em que deveriam andar de bicicleta em alta velocidade durante seis minutos.

O resultado, analisado quatro décadas após a aplicação do teste, foi impressionante: apenas 5% das mulheres que conseguiram completar o treino desenvolveram o Alzheimer ou outras demências na velhice.

As mulheres que eram altamente preparadas fisicamente e as que eram moderadamente preparadas, reduziram o risco de desenvolver a doença em 88%. E as poucas mulheres altamente preparadas fisicamente que desenvolveram alguma demência tornaram-se sintomáticas aos 90 anos de idade, cerca de 11 anos após as moderadamente aptas a completarem o exercício.

Exercícios não são a única forma de prevenção

O estudo não é claro sobre a razão de o exercício ajudar no adiamento ou prevenção do Alzheimer, nem sobre o tipo de atividade e quanto é necessário para prevenir a doença. Fora isso, o teste foi aplicado em apenas 191 mulheres, todas suecas, o que limita a capacidade de generalizar suas conclusões para uma população mais diversificada.

O que se pode afirmar é que as atividades físicas mantêm um bom fluxo sanguíneo para o cérebro e também previnem doenças cardiovasculares. Além disso, evitar o cigarro, dormir bem e manter uma dieta saudável são essenciais para chegar à idade avançada com qualidade de vida.
 

Deixe um comentário


Carregando...

Mais Notícias